Entrevista com o fã e coleccionador: Rafael Turchiello

Entrevista conduzida por José Carlos Francisco.

Para começar, fale um pouco de si. Onde e quando nasceu? O que faz profissionalmente?
Rafael Turchiello: Bom, sou natural de Jaguari, Rio Grande do Sul, Brasil, onde nasci em 22 de Novembro de 1985. Sou do interior do município e desde os 10 anos de idade que dividia o meu tempo entre a escola, o trabalho na lavoura, e é claro a paixão por Tex.
Aos 18 anos fui para a vizinha cidade de Santiago, onde servi a pátria por 1 ano, no 9BLog. Logo após a baixa, precisamente no dia 23 de Maio de 2005 ingressei na brigada militar (Polícia Militar gaúcha), onde trabalhei nas cidades de Santiago, Torres, Santa Maria e no último ano, Jari.
Quanto ao facto de ter escolhido a profissão de policial, afirmo que a formação que tive lendo Tex levou-me a essa escolha, pois Tex com o seu idealismo e senso de justiça, levaram-me a escolher uma profissão que pudesse empregar um mínimo das virtudes do Ranger.

Quando nasceu o seu interesse pela Banda Desenhada? E quando descobriu Tex?
Rafael Turchiello: Aos 10 anos mudamos-nos dentro do próprio município, para perto da minha avó paterna e juntamente com ela morava o meu tio Valdocir e a este devo o facto de ter lido as minhas primeiras revistas de histórias aos quadradinhos. Este possuía cerca de 200 revistas entre Tex e Zagor. Esta última personagem, devido ao facto das revistas publicadas pela Editora Record terem mais presença, fizeram com que Zagor fosse a primeira BD a ter lido. Li as revistas do meu tio, cerca de 10 vezes cada, até começar a minha colecção em 1999, com o número 354 de Tex e não parei mais, até que num dos dias mais felizes da minha vida, o meu tio presenteou-me com toda sua colecção, um pouco desgastadas pelo uso mas com certeza o melhor presente que já ganhei. Hoje posso me orgulhar de ser um dos mais jovens, coleccionadores brasileiros a possuir a colecção completa do Ranger.

Porquê esta paixão por Tex?
Rafael Turchiello: Tive uma infância pobre, longe de grandes opções de lazer, Tex foi um grande amigo que me acompanhou pela infância, adolescência e agora a vida adulta.

O que tem Tex de diferente de tantos outros heróis dos quadradinhos?

Rafael Turchiello: Tex é um ser humano, porém reúne várias características físicas, psicológicas, e de carácter, e é isso que faz vencer os seus obstáculos, e não o facto de usar um uniforme de super-herói ou ter super-poderes.

Qual o total de revistas de Tex que tem na sua colecção?
Rafael Turchiello: Tenho cerca de 650 revistas de Tex e mais umas 300 do Zagor. Todas são especiais, mas cito o numero 354 de Tex por ser a primeira da minha colecção e algumas edições de Tex Junior que possuo.

Colecciona apenas revistas ou tudo o que diga respeita à personagem?
Rafael Turchiello: Aqui no Brasil não há muita coisa além das revistas.Tenho um boton do Tex, o romance de Tex, “O Massacre de Goldena” (italiano), um livro que ganhei no encontro de coleccionadores em Santa Maria, escrito por G.G.Carsan e intitulado “O Império do Mal“, que ainda não foi publicado, mas a história é óptima, possuo o VHS do filme “Tex e o Senhor do Abismo“, bem como uma cópia deste, em DVD, além de panfletos, autocolantes, e uma camisa do mesmo encontro.

Qual o objecto Tex que mais gostava de possuir?
Rafael Turchiello: Bahh!!! Neste caso gosto da colecção num todo!

Qual a sua história favorita? E qual o desenhador de Tex que mais aprecia? E o argumentista?
Rafael Turchiello: Cito algumas: Tex 112, “El Muerto“, Tex 300, “Oklahoma“, Tex 43, “Juramento de Vingança“, Tex Especial 60 Anos (tenho a edição italiana), Tex 205,  “Território Inimigo“, Tex 107, “O Grande Golpe“, porém complemento todas estão entre bom, óptimo, e excelente pois não existem histórias fracas em Tex. O desenhador preferido é Fabio Civitelli e o argumentista o Mauro Boselli.

O que lhe agrada mais em Tex? E o que lhe agrada menos?

Rafael Turchiello: Agrada-me o senso de justiça, acima de tudo, a coragem a  lealdade, o empenho em nunca desistir, as suas habilidades em geral, a amizade que destina aos seus pads e amigos. Na personagem italiana nada me desagrada, porém a actual editora Mythos, apesar de estar a fazer um bom trabalho, está exagerando nas republicações.

Em sua opinião o que faz de Tex o ícone que ele é?
Rafael Turchiello: Como já citei anteriormente, Tex não precisa de super-poderes para vencer os seus inimigos, mas sim de coragem, força e inteligência. Além do mais Tex é uma mistura bem dosada de acção, suspense, terror, humor, e criatividade e ainda por cima mantém o padrão há 60 anos. E é mais que uma colecção para os seus admiradores, é uma filosofia de vida.

Costuma encontrar-se com outros coleccionadores?
Rafael Turchiello: Participei do 3º Encontro de Coleccionadores de Tex, realizado em Santa Maria. Pude conhecer vários coleccionadores tão apaixonados quanto eu, e de vez em quando, encontro lá e cá algum texmaníaco, além da Internet.

Para concluir, como vê o futuro do Ranger?
Rafael Turchiello: A Sergio Bonelli Editore está investindo em novos talentos, portanto os negócios vão bem, e aqui no Brasil vemos uma fileira de fanáticos pelo Ranger que ainda o manterão vivo por mais de 60 anos.

Prezado pard Rafael Turchiello, agradecemos muitíssimo pela entrevista que gentilmente nos concedeu.




(Para aproveitar a extensão completa das fotografias acima, clique nas mesmas)

3 Comentários

  1. Parabéns pela entrevista,,, Gostei!!!

    Rafael, um ano mais velho que eu e já tem a coleção completa pard. Meus parabéns e está com um tesouro de incálculável valor nas mãos!!!

    Jário Costa.

  2. Bela entrevista, e o pard Rafael Turchiello tem cara de ser um rapaz bastante simpático. Também é uma grande alegria pra ele ter a coleção completa do Tex, pois já faz anos que estou tentando completar a minha e ainda não possuo nem a metade desta… Mas o importante é não desisir.

    Felipe.

  3. Bah, cara! Meus parabéns por essa linda coleção que tu tem em mãos, posso te dizer que agora você vai servir de estímulo para mim continuar minha coleção, acho que até os 30 eu consigo. Bom, já me sobra 15 anos pra tentar. Valeu, tudo de bom pra ti.

    Lucas Terres

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *