Entrevista com o fã e coleccionador: Sandro Marcelo

Entrevista conduzida por José Carlos Francisco.

Sandro Marcelo e as revistas CampanaPara começar, fale um pouco de si. Onde e quando nasceu? O que faz profissionalmente?
Sandro Marcelo: Nasci em Recife, PE, Brasil, embora por um descuido do pessoal do cartório tenham colocado Jaboatão dos Guararapes. Deixa eu explicar… é que nasci no Hospital da Aeronáutica de Recife que é território Recifense mas fica em Piedade (bairro vizinho a Boa Viagem), Jaboatão, PE. Portanto o pessoal do cartório foi pelo endereço e não pela questão territorial. Minha data de nascimento é 15 de Outubro de 1971, ou seja, Libriano autêntico! Actualmente encontro-me desempregado mas procuro emprego nas áreas de Auxiliar Administrativo e Departamento de Pessoal, além é claro de Técnico em Informática e Redes.

Tex Willer por Sandro MarceloPara aqueles que ainda não estão bem identificados com a sua carreira profissional, gostaríamos que fizesse uma pequena apresentação própria e do caminho entretanto percorrido na sua carreira?
Sandro Marcelo: Em quadradinhos não me considero profissional, mas venho lutando para publicar os meus trabalhos e quem sabe cair nas graças de alguma editora. Entretanto tenho publicadas três edições da revista Campana de minha autoria onde apresento as minhas personagens Blagster, um cowboy futurista de outro mundo que trabalha como caça recompensas num mundo tecnológico onde água é item raro, e Conversor, uma proposta de Super Herói brasileiro bem diferente, séria e de acordo com alguns leitores, bem inteligente. Comecei desde cedo fazendo revistas para os amigos e familiares lerem e acabei conseguindo publicar para todo o Brasil ainda que informalmente. Gosto muito de ler e procuro ler de tudo até mesmo rótulos de comida e bulas de remédio (…risos…)! Isso proporciona-me uma liberdade criativa muito grande, pois as fontes de inspiração são muitas! O primeiro livro que li foi um bolsilivro chamado “Uma Forca à Minha Espera” de um autor chamado Black Moran, publicado pela Cedibra.

Os Tex's de Sandro MarceloQuando nasceu o seu interesse pela Banda Desenhada?
Sandro Marcelo: Desde pequeno lendo Brasinha e Disney. Mas foi com a revista Heróis da TV, da Editora Abril com uma história do Capitão América que me apaixonei de verdade pelos quadradinhos, isso foi mais ou menos em 1979 ou 1980, eu tinha 8 ou 9 anos.

Quando descobriu Tex?
Sandro Marcelo: Mais ou menos na mesma época que o Capitão América. Meu Tio tinha 4 revistas do Tex: A Vingança de Apache Kid, O Destino de Um Bravo, O Ouro do Colorado e Grand Canyon, todos da Vecchi, junto de um Zorro grande da Ebal em P&B. Quando comecei a ler “A Vingança de Apache Kid” empolguei-me e não parei mais de ler Tex. Li as quatro revistas e sai caçando Tex pelas bancas, chateando o meu pai para comprar para mim.

Tex's de Sandro MarceloPorquê esta paixão por Tex?
Sandro Marcelo: Ele é o herói que eu gostaria de ser: corajoso, duro, implacável com bandidos e generoso para com os pobres e necessitados e pessoas de bom coração. Nas suas histórias vejo sempre a justiça ser feita, os culpados serem punidos e os honestos e inocentes vencerem. Além de ter dois amigos de fé como Jack Tigre e Kit Carson e um filho que segue seus passos com orgulho. Eu gostaria de ser o Tex com certeza, ou pelo menos cavalgar lado a lado com ele e enfrentar criminosos com a mesma coragem que ele.

Sandro Marcelo e os Tex's especiaisO que tem Tex de diferente de tantos outros heróis dos quadradinhos?
Sandro Marcelo: Tex não dá mole para os bandidos. Com ele não tem essa de panos quentes. Diz o que pensa dos criminosos, usem eles estrela ou não, seja ele branco, negro, índio ou amarelo. Não está preso a códigos morais de origem dúbia, e está sempre pronto a castigar os malfeitores sem perder tempo com baboseiras e sempre é justo. Ele não se preocupa com a lei e sim com o que é justo e certo. Isso faz Tex ser diferente dos demais e faz-me cada vez mais admirá-lo mais.

Tex teve alguma influência no facto de você se ter tornado um desenhador?
Sandro Marcelo: Sim! Muita influencia. Não só desenhador como também escritor. A minha personagem Blagster (publicado em Campana) tem grande influencia de Tex e dos quadradinhos Bonelli em geral como Zagor e Ken Parker. Isso acabou se reflectindo também nas minhas personagens de Comics.

Os TEXouros de Sandro MarceloQual o total de revistas de Tex que tem na sua colecção? E qual a mais importante para si?
Sandro Marcelo: Faz tempo que não conto as revistas, mas calculo que devo ter talvez umas duzentas, juntando Tex Coleção, Tex 2ª Edição e edições especiais. Mas já tive a colecção quase completa quando aos vinte e três anos me deu uma doideira e resolvi vender tudo. Até hoje arrependo-me dessa crise de loucura. Tenho poucas porque estive “recomprando” ou ganhando alguns exemplares. Para mim, a mais importante actualmente é a “Collezione Storica a Colori nº 01“, presente pessoal do grande amigo José Ricardo do grupo Bonelli HQ. Essa revista é importante por várias razões: Por ser a primeira história de Tex, por ser colorida, por ser completa e por ser presente do José Ricardo que é uma pessoa que admiro bastante!

Tex Willer (bem acompanhado) por Sandro MarceloColecciona apenas revistas ou tudo o que diga respeita à personagem?

Sandro Marcelo: Infelizmente estou sem poder aquisitivo, mas gostaria de ter tudo o que fosse possível adquirir; vejo certos itens dos amigos coleccionadores e fico babando, como por exemplo, aquelas caixas de cigarro que tem a imagem não autorizada do Tex, os brinquedos que tem a imagem do Jack Tigre, os bonequinhos, selos, etc… Tudo o que eu puder ter do Tex com certeza terei, pois é uma das coisas que pretendo fazer assim que arrumar um emprego: completar a colecção e adquirir miniaturas do Tex.

Qual o objecto Tex que mais gostava de possuir?
Sandro Marcelo: Com certeza uma estatueta! Não só dele como também dos seus Pards.

Tex série normalQual a sua história favorita? E qual o desenhador de Tex que mais aprecia? E o argumentista?
Sandro Marcelo: Minha história favorita é sem dúvida “Trapper” por várias razões, pois ela inclui vários elementos que me agradam a começar pelo escritor e pelo desenhador, além de ser uma história longa e cheia de acção onde vemos uma versatilidade tremenda de personagens como Kit Willer, Pat Mac Ryan, pois afinal Carson e Tigre já são bem destacados. Outro facto que me empolga é quando Tex e Tigre estão presos na aldeia de Pequeno Trovão e há a Corrida da Flecha. Essa história para mim é a melhor de Tex já publicada. Quanto ao desenhador, para mim ninguém supera o saudoso Erio Nicolò, para mim o melhor Tex que já se viu, o melhor Kit e índios sensacionais! Se houvesse um segundo lugar seria o Ticci, mas o Mestre para mim é Nicolò. Quanto a escritor, até hoje (para mim) ninguém conseguiu superar o velho Bonelli. Nizzi e Boselli são bons, claro, mas G. L. Bonelli é insuperável, aliás, eu diria, Imortal!

A biblioTEXO que lhe agrada mais em Tex? E o que lhe agrada menos?
Sandro Marcelo: O que mais me agrada é ver os culpados sendo punidos sem meio termos e o modo como Tex os trata. Sem perdão e com dureza. Um factor que me desagrada é histórias solo de Tex ou apenas em dupla, quase sempre com Carson. Para mim as melhores histórias são com os quatro Pards, e só dois ou só com Tex não me deixam empolgado.

Em sua opinião o que faz de Tex o ícone que ele é?
Sandro Marcelo: Acho que é o mote “Equipa que está ganhando não se mexe“. Tex não mudou quase nada ao longo de todos estes anos e as mudanças que ocorreram foram gradativas  e subtis. Uma personagem estável que não vive mudando de Status Quo e de uniforme a cada 12 horas como a maioria das personagens que vemos por aí. É uma personagem consolidada que não vive de polémicas, mas sim de boas histórias.

Tex'sCostuma encontrar-se com outros coleccionadores?
Sandro Marcelo: Infelizmente não. Gostaria muito, mas até hoje só conheci dois: O José Ricardo e o Elson Melo que é daqui de Recife também. Espero este ano encontrar o Lucílio na próxima Expo-Tex 2009. O factor financeiro influencia bastante, pois não posso viajar.

Para concluir, como vê o futuro do Ranger?
Sandro Marcelo: Acho que o futuro do Ranger vai muito bem, obrigado! Actualmente é a revista da Bonelli que mais vende no Brasil e tem conquistado leitores mais jovens também, então creio que ainda teremos muitas gerações galopando pelas pradarias do velho oeste com estrelas de Ranger brilhando no peito!

Prezado pard Sandro Marcelo, agradecemos muitíssimo pela entrevista que gentilmente nos concedeu.

(Para aproveitar a extensão completa das fotografias acima, clique nas mesmas)

3 Comentários

  1. Gostei de ler esta entrevista, da parte da “doideira” (por mim está desculpado, sem essas doideiras seriamos demasiado certinhos, tem a vida pela frente para refazer a colecção. Também serve de alerta para outros leitores, quando lhes passa algo pela cabeça, para pensarem 2 vezes, LOL) e vê-se a fibra de Texiano, nesta fase de busca de emprego. Seguramente terá êxito em breve, mantenha a “garra”!
    Um abraço.
    Orlando Santos Silva, Lisboa, Portugal

  2. Amigos, Deus tem ouvido suas preces, pois estou trabalhando
    graças a Deus, e recompondo como posso a coleção de Tex que
    em minha loucura deixei escapar! O bom disto é que as
    releituras têm sido mais gostosas porque vêm com o sabor da
    saudade!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *