Capa de Tex italiano # 499: Gli eroi del Texas

Dorival Vitor Lopes e Claudio VillaClaudio Villa (junto do editor Dorival Vitor Lopes, na foto ao lado), um autêntico Mestre do desenho é reverenciado pelos amantes das histórias aos quadradinhos como um dos melhores desenhadores de todos os tempos, sobretudo no que se refere a Banda Desenhada realística, uma arte bem mais difícil, mas que lhe permite representar a realidade, tal qual como ele sempre quis.

O “seu” Oeste é perfeito, sem um único detalhe fora do lugar, realizado com um estilo que consegue ser ao mesmo “sujo” e refinado, clássico e moderno, para não falar daqueles elementos que são problemáticos para todos os desenhadores (como armas e cavalos) e que Claudio Villa desenha como se fossem os desenhos mais naturais do mundo.

E não é para menos, pois ele é dono de um traço inacreditavelmente detalhado, cada capa sua de Tex é um convite a uma observação atenta por parte do leitor e nós aqui no blogue do Tex damos a conhecer uma vez mais, várias fases e estudos de uma capa do Ranger: desta vez “Gli eroi del Texas” (Tex nº 499).

Capa de Tex italiano # 499 - Gli eroi del Texas - 1Capa de Tex italiano # 499 - Gli eroi del Texas - 2

Capa de Tex italiano # 499 - Gli eroi del Texas - 3Capa de Tex italiano # 499 - Gli eroi del Texas - 4

Capa de Tex italiano # 499 - Gli eroi del Texas - 5
Capa de Tex italiano # 499 - Gli eroi del Texas - 6

(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

Um comentário

  1. Já me deparei com inúmeros “posts” como este, de “sketches” de capas e páginas, mas nem sempre paro para comentar.

    Não sei se muitos dos fãs e companheiros freqüentadores do Blog do Tex percebem o envolvimento e esforço do artista por trás desses sketches.

    São meus posts favoritos! Eles carregam a personalidade e o momento de espontaneidade criadora do desenhista/quadrinista.

    Realmente aprecio constatar que nossos queridos desenhistas do ranger partilham do cansaço dos mortais em sua tentativa de nos dar o melhor. Isso é zelo, comprometimento, profissionalismo, o esforço máximo do artista em busca do ideal da beleza, da harmonia e do sublime.

    Trazer esse “por trás das câmeras” da feitura do Tex sempre nos lembra que por trás do mito Claudio Villa, assim como de todo grande artista, existe um “humano, demasiado humano”, com todo o mérito.

    Perdoem se pareço exagerado, mas quem aqui já tiver se aventurado em fazer sequer um simples desenho há de me entender.

    Aos desenhistas do Tex em geral e aqui ao Claudio Villa em particular, diante do seu trabalho, só me vem à lembrança uma frase do escritor indiano Rabindranath Tagore:

    Só não me curvo diante de ti, pois a minha humilde reverência jamais poderá alcançar a profundidade onde repousam teus pés.

    Abraços!

    Fred Macedo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *