Entrevista com o fã e coleccionador: Carlos Fernando Oliveira Santos

Entrevista conduzida por José Carlos Francisco.

Carlos Santos, Ken Parker e TexPara começar, fale um pouco de si. Onde e quando nasceu?  O que faz profissionalmente?
Carlos Santos: Nasci em Rio Tinto (Vagos – Portugal) no dia 18 de Abril de 1969 segundo o bilhete de identidade, mas sou mais novo 5 semanas, já que a data correcta é 10  de Março.  Sou casado e vivo com 2 filhotes e uma mulher (ufa) e trabalho no comércio frutícola.

Quando  é  que teve início esta paixão pela Banda Desenhada, em especial pelo Tex?
Carlos Santos: Se bem me lembro, fui iniciado na Banda Desenhada em Lisboa, com a minha prima que me ensinou a ler ainda antes de entrar na escola e depois com nove anos lá tirava algum dinheiro aos meus pais para comprar quase tudo o que era publicado: Condor, Falcão, Disney, etc. Aos doze, descobri numa livraria com a ajuda de um primo,  revistas da Vecchi:  Tex, Ken Parker, Histórias do Oeste, Chacal, Chet, etc. Foi um click de tal maneira que fiquei atordoado com o nível dos argumentos e  desenhos,  que nunca mais parei de adquirir as séries Bonellianas.
Tex nº117 – Subterrâneo da Morte e Tex 2ª Edição nº32 – O Caçador de Criminosos, foram os primeiros Tex’s que me recordo de ter lido.

A colecção de Carlos SantosPorquê o Tex e não outra personagem?
Carlos Santos: Grandes desenhos, bons argumentos, bons autores, histórias longas e interligadas que pedem para comprar o seguinte (sem conotação comercial) embora tenha também uma paixão enorme pelo Ken Parker.

O que Tex representa para si?
Carlos Santos: A vitória do bem contra o mal, amizade, lealdade e acima de tudo, o respeito!

Ainda a colecção de Carlos SantosQual o total de revistas de Tex que tem na sua colecção? E qual a mais importante para si?
Carlos Santos: Epá! Essa pergunta não se faz a um texiano, he, he…
São todas importantes e Texiano que se preze tem que ter todas as histórias e eu possuo-as, ou seja, possuo todas as séries publicadas no Brasil, com uma excepção. Só não compro  Tex Coleção  por ter a série Tex Edição Histórica completa.

Colecciona apenas livros ou tudo o que diga respeita à personagem?
Carlos Santos: Só revistas porque o resto ninguém me diz “Eu arranjo isto ou tenho isto, queres comprar?“. São uns invejosos pois querem tudo para eles! (obviamente estou a brincar…)

Carlos Santos, Tex e Ken ParkerQual a sua história favorita? E qual o desenhador de Tex que mais aprecia? E o argumentista?
Carlos Santos: A Sul de Nogales! Uma verdadeira obra prima, uma história digna de cinema, curta e passada num único local.
Aprecio sobremaneira os desenhadores Galep, Letteri, Nicolò, Ticci, Villa, Fusco e Civitelli, já a nível de argumentos: G. L. Bonelli!

O que lhe agrada mais em Tex? E o que lhe agrada menos?
Carlos Santos: Em Tex tudo me agrada, mas penso que fazem falta umas femeazinhas para alegrar as nossas vistas, como acontece com Ken Parker.

Em sua opinião o que faz de Tex o ícone que ele é?
Carlos Santos: O trabalho da família Bonelli e o trabalho das editoras que no Brasil  publicaram o  Ranger.  O sucesso em Portugal passa por no Brasil se falar também o português, porque se Tex fosse publicado somente em outras línguas, inclusive indígenas (he,he…) estávamos fadados em Portugal a não “conhecer” o Tex!

Mais da colecção de Carlos SantosPara concluir, como vê o futuro do Ranger?
Carlos Santos: Existe pano para mangas com a entrada de tantos novos desenhadores mas algo que talvez desse certo era variar os temas, fazendo histórias de teor mais sobrenatural, algo como histórias de ficção científica como acontece na Marvel/DC, onde juntam vários heróis nas histórias, com viagens ao passado e futuro, etc.
Para concluir, se algum dia eu chegar a ser milionário, edito em Portugal toda a série italiana, em português e no tamanho original, só para “lixar” o editor Dorival! (he, he…)

Prezado pard Carlos Fernando Oliveira Santos, agradecemos muitíssimo pela entrevista que gentilmente nos concedeu.

(Para aproveitar a extensão completa das fotografias  acima,  clique nas mesmas)

2 Comentários

  1. Grande entrevista pard, e bela colecção que possuis.
    Parabéns por tudo, um abraço TEXiano.
    Carlos Moreira

  2. Gostei da entrevista e adorei a biblioTex! Pelas fotos da reportagem as 5 semanas de diferença não se notam (LOL! É quase como o nosso Tex, quem diria que é mais velho que as “fotos” que aparecem nas revistas). Um abraço. Orlando Santos Silva

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *