Entrevista com o fã e coleccionador: Francisco Batista Bordin

Entrevista conduzida por José Carlos Francisco.

Francisco Batista BordinPara começar, fale um pouco de si. Onde e quando nasceu? O que faz profissionalmente?
Francisco Batista Bordin: Nasci no dia 4 de Novembro de 1978, em Santa Maria, Estado do Rio Grande do Sul, Brasil e trabalho numa empresa que vende ferramentas e máquinas, tendo trabalhado anteriormente 14 anos numa gráfica, entendendo por isso um pouco de como as revistas do Tex são impressas, pois nessa gráfica tínhamos máquinas vindas da Itália.

Quando nasceu o seu interesse pela Banda Desenhada?
Francisco Batista Bordin: Desde novo que via o meu pai e tios lendo essas revistas e eu não sabia ler ainda, mas já gostava dos desenhos Hoje gosto de tudo nas revistas do Tex.

Parte da colecção de Francisco Batista BordinQuando descobriu Tex?
Francisco Batista Bordin: O meu pai e os meus tios tinham várias revistas quando morávamos na periferia, depois mudamo-nos para o centro da cidade e o meu pai parou de ler. Passados os anos, cresci e certo dia um vizinho mostrou-me duas revistas do Tex (as quais comprei dele e tenho até hoje) e através destas duas revistas lembrei-me do passado e então não parei mais de comprar Tex. Por coincidência uma das revistas tinha desenhos do grande Claudio Villa, desenhos esses que pareciam fotos. Desde então não parei mais de ler Tex.

Francisco Batista Bordin e os seus Tex'sPorquê esta paixão por Tex?
Francisco Batista Bordin: Acho que o principal motivo são os desenhos tão perfeitos que os desenhadores sabem fazer, mas o desenrolar da história também é muito bom, aliado ao facto de Tex lutar sempre pelo triunfo do bem.

O que tem Tex de diferente de tantos outros heróis dos quadradinhos?
Francisco Batista Bordin: As histórias de Tex parecem ser reais e a gente parece entrar na história e sentir o que as personagens sentem em cada cena. Quando eu li a história de Tex em que Jack Tigre perde a sua parceira, parecia que eu estava a acompanhá-lo na busca da sua amada e senti  também a dor que ele sentiu quando soube que ela se suicidou. Foi muito triste…

Parte da colecção  de Francisco Batista BordinQual o total de revistas de Tex que você tem na sua colecção? E qual a mais importante para si?
Francisco Batista Bordin: Nunca contei, mas tenho muitas repetidas e edições especiais também. As mais importantes são duas revistas com histórias muito boas: Os Fanáticos do Tigre Negro e Vingança de Índia. Perdi a conta de quantas vezes eu li essas histórias…

Colecciona apenas livros ou tudo o que diga respeita à personagem italiana?
Francisco Batista Bordin: Só revistas.

Francisco Batista Bordin no leito com TexQual o objecto Tex que mais gostava de possuir?
Francisco Batista Bordin: O revólver dele 😉

Qual a sua história favorita? E qual o desenhador de Tex que mais aprecia?
Francisco Batista Bordin: As melhores história de todas são Os fanáticos do Tigre Negro e Vingança de Índia. Melhores desenhadores, com certeza Claudio Villa e depois Giovanni Ticci.

O que lhe agrada mais em Tex? E o que lhe agrada menos?
Francisco Batista Bordin: Tudo em Tex agrada-me, o que não me agrada nas revistas de Tex são os desenhos do Fernando Fusco que (não levem a mal) parecem uns rabiscos…

Parte da  colecção de Francisco Batista BordinEm sua opinião o que faz de Tex o ícone que é?
Francisco Batista Bordin: As histórias que têm um desenvolvimento muito bom, mas penso que principalmente os desenhos também agradam muito os leitores, como no meu caso.

Costuma encontrar-se com outros coleccionadores?
Francisco Batista Bordin: Não.

Para concluir, como vê o futuro do Ranger?
Francisco Batista Bordin: Tenho medo de no futuro os editores de Tex não terem mais histórias do Ranger para publicar e Tex correr o risco de acabar, mas tomara que isso nunca aconteça!

Prezado pard Francisco Batista Bordin, agradecemos muitíssimo pela entrevista que gentilmente nos concedeu.
(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

2 Comentários

  1. Pois eu discordo, pra mim os desenhos do Fernando Fusco são dos melhores da saga de Tex, porque os desenhos dele tem muito movimento, muita ação.

  2. Viva nosso querido Tex. Tenho receio de no futuro as vendas caiam a ponto de não ser mais possivel publicar a revista. Tomara que isso nunca aconteça. A ediçao que mais gosto é o numero 34 (Navajos em pé de guerra).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *