Entrevista com o fã e coleccionador: Davi Rhuan dos Santos Ryba

Entrevista conduzida por José Carlos Francisco.

Davi Rhuan dos Santos RybaPara começar, fale um pouco de si. Onde e quando nasceu? O que faz profissionalmente?
Davi Ryba: Meu nome é Davi Rhuan dos Santos Ryba,tenho 15 anos e no momento estou cursando o 2º ano do Ensino Médio. Nasci na cidade de Assis Chateaubriand no Estado do Paraná, Brasil, no dia 28 de Novembro de 1994. Quando tinha 5 meses de idade a minha família mudou-se para Nova Aurora, onde resido até hoje.

Quando nasceu o seu interesse pela Banda Desenhada?
Davi Ryba: Foi com uma edição de “Turma da Mônica”, eu devia ter aproximadamente 3 ou 4 anos, sabia ler apenas algumas palavras e a minha mãe ajudava-me a ler as outras, assim, acabei aprendendo a ler muito cedo, crescendo cada vez mais meu interesse pela banda desenhada, ainda mais quando via a colecção de Zagor do meu pai.

Colecção de Davi Rhuan dos Santos RybaQuando descobriu Tex?
Davi Ryba: Primeiro foi nas propagandas que tinha nas outras revistas Bonelli, Comecei primeiro lendo Zagor; eu tinha 8 anos, era um daqueles dias chuvosos em que não havia nada para se fazer, olhei na estante e peguei a edição “Vingança Vodu” e passei a tarde toda lendo.
Demorei um pouco para ler Tex. Foi em 2005, de tanto falarem que era o mais vendido da Bonelli um dia resolvi ler, fui à banca e comprei “Grandes clássicos de Tex 1”, gostei da edição e passei a coleccionar tudo o que posso sobre a mítica personagem italiana.

Colecção de Davi Rhuan dos Santos RybaPorquê esta paixão por Tex?
Davi Ryba: Gosto devido a ele ter uma grande variedade de assuntos nas histórias: fala de faroeste, espionagem, sobrenatural, misticismo e coisas do género. Sem falar dos desenhadores, que são de grande qualidade.

O que tem Tex de diferente de tantos outros heróis dos quadradinhos?
Davi Ryba: Ele não mede esforços para chegar à conclusão de um caso e não pensa duas vezes para ajudar alguém que precise.

Colecção de Davi Rhuan dos Santos RybaQual o total de revistas de Tex que você tem na sua colecção? E qual a mais importante para si?
Davi Ryba: Possuo cerca de 290 revistas de Tex e 305 de Zagor. A edição mais importante de Tex que possuo acho que é o primeiro Tex Gigante da Editora Globo (“Tex, o Grande“). De Zagor são as quatro edições italianas que tenho.

Colecciona apenas livros ou tudo o que diga respeita à personagem italiana?
Davi Ryba: Normalmente colecciono tudo o que está ao meu alcance, ou seja, aquilo que tenho condições de comprar.

Colecção de Davi Rhuan dos Santos RybaQual o objecto Tex que mais gostava de possuir?
Davi Ryba: Uma edição da Collezione Storica a Colori que está a ser publicada na Itália e a colecção de bonecos da Hachette. Esse objectos são os que mais me fascinam ao ver uma colecção e que eu gostaria de possuir.

Qual a sua história favorita? E qual o desenhador de Tex que mais aprecia? E o argumentista?
Davi Ryba: As minhas histórias favoritas são duas : ”Oklahoma!”, onde é abordado  um acontecimento histórico importante e que não se desviou muito da história que realmente ocorreu, e também “Os Fanáticos do Tigre Negro” por ter um bom roteiro e bons desenhos. Acho ele o maior vilão do universo de Tex. O desenhador favorito desde o início sempre achei que é o Civitelli. Quando ao argumentista, Nizzi, pois muitas das histórias da fase Ouro de Tex foi ele quem escreveu.

Colecção de Davi Rhuan dos Santos RybaO que lhe agrada mais em Tex? E o que lhe agrada menos?
Davi Ryba: Foi que já disse, a variedade de histórias e ele sempre ajudar a quem precise, não medindo esforços em tirar a informação correcta de um bandido. O que menos me agrada… bem, o modo de narrativa de várias histórias parecerem  iguais, tornando-se um pouco repetitivo.

Em sua opinião o que faz de Tex o ícone que é?
Davi Ryba: Com certeza foi a coragem dos criadores Bonelli & Galep de investirem os seus esforços na personagem e continuarem com a sua publicação pelo resto de suas vidas.

Colecção de Davi Rhuan dos Santos RybaCostuma encontrar-se com outros coleccionadores?
Davi Ryba: Apenas quando o acaso permite; já me encontrei por acaso duas vezes na banca das revistas com pessoas que liam Tex e dias atrás descobri que três pessoas na minha sala de aula já tinham lido Tex.

Para concluir, como vê o futuro do Ranger?
Davi Ryba: Com muita coisa boa ainda por vir, basta apenas ter-se uma grande ideia e passá-la para os quadradinhos.

Prezado pard Davi Rhuan dos Santos Ryba, agradecemos muitíssimo pela entrevista que gentilmente nos concedeu.
(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

5 Comentários

  1. Assim como a Bonelli está renovando os seus desenhistas e argumentistas, a Mythos aos poucos, está conseguindo Jovens leitores para o grande Tex. Parabéns Davi pela entrevista.

  2. Olá, Davi!
    É legal saber que existem fãs de Tex com a mesma idade que eu.Tenho 14 anos e leio Tex desde os 8!

    Abraço,
    Colt

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *