Entrevista com o fã e coleccionador: Johnny Campos Faria

Entrevista conduzida por José Carlos Francisco.

Johnny Campos FariaPara começar, fale um pouco de si. Onde e quando nasceu? O que faz profissionalmente?
Johnny Campos Faria: O meu nome é Johnny Campos Faria, nasci em Valença, Estado do Rio de Janeiro, Brasil, no dia 1° de Agosto de 1995. Actualmente moro em Santa Rita de Jacutinga, Minas Gerais e sou estudante.

Quando nasceu o seu interesse pela Banda Desenhada?
Johnny Campos Faria: Quando eu li o meu primeiro Tex.

Quando descobriu Tex?
Johnny Campos Faria: Descobri por acaso em 2006. Eu tinha uma caixa com várias revistas de quadradinhos, a maioria dos exemplares eram da Turma da Mônica. Um dia eu revirei a caixa em busca de outras histórias das quais eu não tinha lido e encontrei alguns exemplares de Tex dos anos 70.

Colecção de Johnny Campos FariaPorquê esta paixão por Tex?
Johnny Campos Faria: Eu sempre gostei muito de faroeste, com aquelas cenas de algum cobói cavalgando nas pradarias, de um xerife cuidando de alguma cidade. E o Tex entrou neste contexto.

O que tem Tex de diferente de tantos outros heróis dos quadradinhos?
Johnny Campos Faria: Tex não tem super-poderes, ele nada mais é do que um homem fazendo justiça.

Qual o total de revistas de Tex que você tem na sua colecção? E qual a mais importante para si?
Johnny Campos Faria: Tenho só 41 exemplares. E a mais importante para mim é minha única edição italiana: Tex (mensile) 462 –  Il Fiume dela Paura.

Johnny Campos Faria e o seu Tex italianoColecciona apenas livros ou tudo o que diga respeita à personagem italiana?
Johnny Campos Faria: Somente as revistas em quadradinhos.

Qual o objecto Tex que mais gostava de possuir?
Johnny Campos Faria: O álbum de cromos que foi lançado no Brasil nos anos 80.

Qual a sua história favorita? E qual o desenhador de Tex que mais aprecia? E o argumentista?
Johnny Campos Faria: A minha história favorita é “Mescaleros!”. Desenhador é o Letteri e argumentista é o G. L. Bonelli.

O que lhe agrada mais em Tex? E o que lhe agrada menos?
Johnny Campos Faria: O que mais me agrada em Tex é a sua coragem, sua bondade, seu senso de justiça. O que menos me agrada é a sua auto-piedade.

Tex's de Johnny Campos FariaEm sua opinião o que faz de Tex o ícone que é?
Johnny Campos Faria: Creio que o roteiro, que é super-bem elaborado. É daqueles roteiros que te prendem na história, que fazem você pensar: “Quem é o assassino?”, que faz você aguardar ansioso a próxima edição para ver qual aventura vai começar (ou terminar).

Costuma encontrar-se com outros coleccionadores?
Johnny Campos Faria: Eu não me encontro com outros coleccionadores por um motivo: Moro numa cidade do interior, e aqui não há banca de jornal. Tenho que viajar para comprar ou comprar pela Internet.

Para concluir, como vê o futuro do Ranger?
Johnny Campos Faria: Vejo ele mais velho, mais ou menos da idade do Carson nos dias de hoje, com un lindo netinho e a mesma disposição de quando ele tinha 40 anos.

Prezado pard Johnny Campos Faria, agradecemos muitíssimo pela entrevista que gentilmente nos concedeu.
(Para aproveitar a extensão completa das imagens acima, clique nas mesmas)

11 Comentários

  1. Parabéns pela entrevista, Johnny! Pelo jeito, nós temos muitas coisas em comum, além da mesma idade. Eu também praticamente conheci Tex no ano de 2006!

  2. Mais um jovem leitor do nosso Herói de Papel. Parabens pela boa entrevista Pard Johnny. Assim ficamos conhecendo mais um leitor, fã e colecionador deste grande ícone dos quadrinhos.

  3. Fico feliz demais quando vejo jovens lendo nosso Tex. Parabéns Johnny. E vida Longa para Tex Willer!

    TEX, HERÓI JUSTICEIRO,
    É O TERROR DOS VILÕES.
    SUA SAGA CONTINUA
    POR DIVERSAS GERAÇÕES!

  4. Isto é o que me deixa contente, ver que jovens quando pegam uma revista de Tex para ler, se apaixonam logo, assim como foi com todos nós no início, siga em frente parceiro, acredite, lute, que você consegue completar sua coleção.
    Lucílio Valério

  5. Caro Johnny,

    Valeu o que importa mesmo é o interesse e continuar na busca constante em adquirir os números que lhe faltam, e parabéns, você já é um texiano e esteja certo que voce não deixará de ler a saga do Ranger. Voce é mais um que entra para a legião.

  6. Muitíssimo obrigado aos pards: Zeca (pela oportunidade) e para os pards que comentaram esta singela entrevista. Eu não pretendo largar os gibis do Tex tão cedo. Ainda mais agora que eu estou conseguindo colecionar a coleção colorida e a aproximação do nº 500. Mesmo assim, essa minha paixão só fortaleceu durante todos os 4 anos de leitura de Tex. Mais uma vez agradecendo a todos!

  7. Imagina, Iohana… nem estava tão lindo assim. E Celso, eu tive essa sorte por acaso. Creio que se você não tivesse sido expulso do fórum você iria ganhar esta oportunidade. Mas são detalhes…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *