Tex de Manfred Sommer em grande destaque no Diário As Beiras: 27 de Fevereiro de 2010

Logótipo do Jornal As BeirasTexto do jornal Diário “As Beiras“, de 27 de Fevereiro de 2010
João Miguel Lameiras
.
RECORDANDO MANFRED

SOMMER, A PROPÓSITO DE TEX
.
Recordando Manfred Sommer a propósito de Tex, no jornal As BeirasJÁ ESTÁ DISPONÍVEL nos quiosques portugueses, o nº 452 da revista “Tex”, que recolhe a primeira parte da última história completa desenhada pelo espanhol Manfred Sommer, falecido a 3 de Outubro de 2007, com 74 anos de idade. Um bom pretexto para voltar a evocar Sommer neste jornal, depois de lhe ter dedicado um texto, a propósito do Tex Gigante que deu início à sua colaboração com a editora Bonelli.

Nome grande da BD realista espanhola que, tal como os seus colegas, José Ortiz, Alfonso Font, Esteban Maroto e Victor De La Fuente, continuou a trabalhar em Banda Desenhada, graças à editora Bonelli, findo o boom das revistas de BD em Espanha nos anos 90, Manfred Sommer é conhecido em Portugal graças ao jornalista e correspondente de guerra Frank Cappa, interessante e carismática personagem publicada em Portugal em finais da década de 80, primeiro na revista “O Mosquito” e mais tarde em álbum pela Meribérica. Em inícios dos anos 90, Sommer tinha trocado a Banda Desenhada pela pintura, até que a persistência de Sérgio Bonelli o convenceu a regressar à BD para desenhar o ranger “Tex”, primeiro num Tex Gigante e, posteriormente, na revista mensal do ranger da Editora Bonelli.

Uma colaboração a que a morte pôs fim, mas que deu origem a alguns dos seus melhores trabalhos, em termos gráficos. Mesmo que esta não seja a última vez que Manfred Sommer desenhou o Tex, pois antes falecer já tinha desenhado mais de 90 páginas de uma nova história, que foi finalmente publicada no Almanaque italiano de 2009, depois de concluída pelo desenhador Massimiliano Leonardo, mais conhecido por Leomacs, “A Última Diligência” foi o seu derradeiro trabalho finalizado.

A história, escrita por Mauro Boselli, que termina apenas no nº 453 da revista “Tex”, coloca Tex em confronto com Scott Dunson, um ladrão de bancos inteligente e cuidadoso e apela bastante à versatilidade de Sommer, tão à vontade a desenhar as cenas nocturnas na cidade mineira abandonada de Silver Lodge, em que joga muito bem com as sombras para efeitos dramáticos, como as sequências em espaço aberto no deserto do Arizona, plenas de dinamismo e detalhe rigoroso. Pena que a sua morte tenha privado a Bonelli de um dos seus melhores desenhadores, que deixou uma marca na série..
João Miguel Lameiras.
(“Tex nº 452: A Última Diligência”, de Boselli e Sommer, Mythos Editora, 114 pags, 2,90 €)
.
Copyright: © 2010 Diário “As Beiras“; João Miguel Lameiras; crítico e especialista de BD, autor do blogue Por um punhado de imagens
.
(Para aproveitar a extensão completa da imagem do jornal, clique na mesma)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *